Quinta-feira, 7 de Abril de 2011

11-FMI-04

Parece que vem aí um camião de dinheiro. Se a matrícula do dito é FEEF ou FMI (ou as duas coisas), é-me um pouco indiferente.

Infelizmente esse camião não terá nenhum atrelado de bens imateriais – capacidade política, ideias, princípios, ética, etc. -, muito simplesmente porque na origem, no mercado de origem, tal como por cá, estes bens não abundam. A Europa é hoje governada (nem me atrevo a escrever liderada…) por dirigentes mornos, cinzentões, sem chama, que se movem num confrangedor deserto de ideias e, por isso mesmo, quase sempre agem sem princípios e sem ética.

Há momentos assim na história, uma espécie de buracos negros na evolução das civilizações. Nada de novo, portanto, e com a boa notícia de que normalmente se segue um novo mundo. Bem sei que o tempo histórico não é compatível com a minha angústia, mas é estranho que não se vislumbre qualquer indício desse novo mundo, nem se perceba quem poderá dar origem a esse salto qualitativo.

Neste entretanto, o que verdadeiramente me incomoda é que o destino desse camião seja este país, tão pequenino, tão meu. Não é por violarem a minha propriedade, é por, no fundo, me chamarem inútil !

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:58
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

wildfire

granum

A. Lobo Antunes

«Cebola crua com sal e br...

«mundos mudos» no papalag...

Steinbeck

... fogos gregos

Stefan Zweig

Hermann Hesse

«Mudar de Vida»

Os "interiores"

Função social da propried...

Word Press Photo

Contributos para uma inte...

A terra do Capuchinho Ver...

Contributos para uma inte...

«Quando vier a primavera»

Contributos para uma inte...

Amenidades invernais

Contributos para uma inte...

A oeste nada de novo*

Lili Artic Golden, sem li...

Valha-nos deus

Tejo nauseabundo

Lobbies

Tags

aprender

canções

esboços

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

rural

todas as tags

Arquivos