Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2016

Volta-de-lua

- Filho, hoje é dia de volta-de-lua, não devias podar as videiras...

- Hum?

- No meu tempo, os homens levavam uma pequena bacia com água e cinza que punham ao pé das videiras enquando andavam a podar. Quando acontece a volta-de-lua a cinza revolve-se e a água fica turva - não se pode podar mais! As videiras não dão cachos e o vinho estraga-se...

 (Entretanto Marcelo foi eleito presidente da república)

 Sem bacia com água e cinza, espero que as videiras dêem uvas e o vinho seja bom... 

 

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:42
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos