Terça-feira, 12 de Agosto de 2014

Rui Veloso

IMG_7931.jpg

Rui Veloso, em Oleiros.

 

Foi um concerto triste, a meio da semana, num lugar improvável.

Uns dias depois, em entrevista ao DN, dizia que «É muito difícil para mim aceitar a realidade do país. Fico à espera que isto um dia tenha compostura e volte aos valores básicos da vida. (...) Todos sabem de tudo como no futebol! Gente que nada percebe do que fala mas mesmo assim opina sem critério. Portanto, eu vou parar. Tenho de fazer uma paragem na minha vida para provavelmente estar com os amigos, para poder viajar, para arrumar os meus DVD, deitar fora coisas, trabalhar calmamente na minha música, sem pressões, e pôr em ordem algumas coisas que tenho desarrumadas na minha vida».

Diz mais coisas, mas é fácil perceber que se fartou deste país. Vão chover críticas de quem acha que só os privilegiados se podem dar ao luxo de dizer basta. Não quero saber. Do Rui só espero que não deixe de fazer canções. O resto - este país que um dia há-de voltar aos valores básicos da vida, este país reduzido à mediocridade de gente que nada percebe do que fala (nem imaginas a praga de gente dessa que existe por todo o lado...) -, fica para depois. Eles hão-de acabar por cair em cima da sua própria merda. Resistir é preciso!

 

Publicado por Fernando Delgado às 00:57
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos