Domingo, 2 de Agosto de 2015

Rentes de Carvalho

«Não sou como sou, nem como me quero, nem como me julgo.Sou como os outros me veêm. Um eu que desconheço.»

J. Rentes de Carvalho. Pó, Cinza e Recordações. Quetzal, 1ª ed, pp 212.

 

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:05
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos