Domingo, 3 de Agosto de 2014

Pipa de massa

        - Uma pipa de massa! -, disse Durão Barroso na assinatura do acordo de parceria com a UE, referindo-se a 26 000 M€ de fundos…

        - Porreiro, pá! – murmurou, com voz rouca, um assistente ausente da cerimónia.

        - Silêncio! - pediu o mestre de cerimónias com o dedo em riste e espuma no canto da boca.

 

Ao fundo da sala, alguém lia "O Banqueiro Anarquista", de Fernando Pessoa. Não consta que se tivesse apercebido da dimensão da pipa. Estava sóbrio e parecia feliz!

(link entre pipas)

 

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:49
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos