Quinta-feira, 18 de Abril de 2013

O quarto elemento

De acordo com o Jornal i «Erro no Excel põe em causa trabalho académico que sustenta políticas de austeridade»

 

 

A troika, afinal é uma qroika. O quarto elemento é o mais importante: escreve a azul ou a vermelho, conforme o resultado é positivo ou negativo; faz gráficos lindíssimos, com linhas, com barras que sobem e descem a um simples clique; faz médias, máximos, mínimos, quiquadrados, desvios-padrão, estimativas, projecções num simples deslizar pelas células; …

 

Os três mosqueteiros afinal eram quatro. Mas D'ArtagnanAthos, Porthos e Aramis limitavam-se a reagir à realidade. O FMI, o BCE e o GP guiam-se pela irrealidade de uma folha de cálculo, como se fosse um parceiro, como se fosse o quarto elemento. Mas se o Excel faz tudo o que se possa imaginar, não dita regras. Recebe regras e limites às regras. Recebe instruções. Recebe realidade e debita irrealidade. Só num mundo louco e nas mãos de loucos isto se pode confundir!

 

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:51
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

mapas rurais

Ajustando as velas

Contrastes

Religiões

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos