Sexta-feira, 10 de Abril de 2015

Miró

joan-miro-the-red-sun.jpg

«[...]

O Ministério Público (MP) pede a condenação de todos os envolvidos no processo da venda das 85 obras de Miró do ex-Banco Português de Negócios (BPN) e a impugnação do arquivamento da classificação da colecção, segundo as acções interpostas.

O Ministério das Finanças, o secretário de Estado da Cultura, o director-geral do Património Cultural, as sociedades Parvalorem e Parup's assim como a leiloeira Christie's são visadas numa das acções; a segunda acção pede a impugnação do arquivamento da classificação das obras. [...]»

Ler notícia completa aqui.

 

Daqui a uns anos (poucos, muito poucos!...) ninguém sabe quem são os cinzentões que estiveram por detrás deste negócio, mas Miró e as suas obras continuarão por muitos, muitos anos... É esta perenidade, esta chatice de quase eternidade de umas telas coloridas, escandalosamente simples e também por isso só ao alcance de alguns, que é insuportável para quem se acha muito importante e que afinal não passa de um idiota cheio de poder como um balão cheio de ar...

Como de costume, isto não vai dar em nada. Também já não importa!

 

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 01:28
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos