Segunda-feira, 25 de Abril de 2016

Abril

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

«Rios que vão dar ao mar/ Deixem meus olhos secar/ Águas das fontes calai/ Ó ribeiras chorai/ Que eu não volto a cantar»
(Todos sabíamos que o Zeca já não estava bem... Ouvimos as primeiras canções e..., pronto, ele conseguiu! Mas estes versos, da Balada de Outono, soaram-me um pouco a despedida... Foi nessa noite que percebi que nem sempre se vai a um concerto para simplesmente ouvir música - a celebração da vida também pode acontecer em lugares improváveis, como o Coliseu...)

 

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 01:10
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos