Sexta-feira, 9 de Março de 2012

A fisga

 

 

 

(Peço desculpa, mas já não me lembro do local da net de onde roubei esta foto...)

A partir desta notícia... 

A propósito de: cá se fazem cá se pagam

A propósito de: não sou de vinganças, mas quem mas faz, paga-as 

A propósito de: olho por olho dente por dente

O despropósito de um presidente da república...

 

Ficha técnica: a fisga é uma arma primitiva de defesa pessoal (será?) composta por uma forquilha de madeira e elásticos... Neste exemplar, os elásticos não estão direitos, isto é, a pedra foi carregada na funda depois de lhe dar uma volta... Nada garante que a pedra atinja o alvo que se pretende, podendo mesmo ser projectada para trás, embora esta hipótese não possa ser garantida pela física newtoniana (da física quântica não sei o suficiente para emitir opinião).

Registe-se, porque importante, a firmeza da mão na forquilha, o olho-pisco bem alinhado com a forquilha, a postura do árbito e do treinador, que asseguram a legalidade e a eficácia do tiro (que lindos que estão!) e o ar malandro do atirador (ah, sacana, já te apanhei!)...

Não se vê o alvo, o que é bom, porque permite imaginar muitos alvos. Este grau de liberdade do observador não está garantido pelas regras do jogo, mas deve ser exercitado.

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 22:11
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Ajustando as velas

Contrastes

Religiões

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos