Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

O IVA de Narciso

Há uma velha história que diz (se me lembro…) que os grandes homens colocados diante da alternativa de ter de escolher entre a imitação de Narciso, apaixonado por si mesmo, e a de Prometeu, que intervém em favor do género humano ao roubar o fogo aos deuses, decide pelo segundo.

 

Hoje Prometeu foi esquecido, ou não havia grande homem…, mas Narciso que se cuide – o espelho está cada vez mais embaciado e arrisca quebrar-se!

 

(Sempre ouvi falar em homens de estado, em homens com estatura de estado…Até sou capaz de identificar dois ou três, se calhar mal… Nunca liguei muito a esta adjectivação, quase sempre de contornos míticos ou heróicos, o que só por si me afasta destas questões, mas desconfio que nenhum destes homens, nenhum desses dois ou três que me arrisco a classificar como homens de estado, bebe coca-cola ou pepsi cola… Parece existir uma estranha força que aproxima cada vez mais os políticos das bolhinhas das ditas bebidas – efémeras, irritantes e com elevada tendência para uma erupção estomacal!)

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:58
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

mapas rurais

Ajustando as velas

Contrastes

Religiões

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos