Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

O IVA de Narciso

Há uma velha história que diz (se me lembro…) que os grandes homens colocados diante da alternativa de ter de escolher entre a imitação de Narciso, apaixonado por si mesmo, e a de Prometeu, que intervém em favor do género humano ao roubar o fogo aos deuses, decide pelo segundo.

 

Hoje Prometeu foi esquecido, ou não havia grande homem…, mas Narciso que se cuide – o espelho está cada vez mais embaciado e arrisca quebrar-se!

 

(Sempre ouvi falar em homens de estado, em homens com estatura de estado…Até sou capaz de identificar dois ou três, se calhar mal… Nunca liguei muito a esta adjectivação, quase sempre de contornos míticos ou heróicos, o que só por si me afasta destas questões, mas desconfio que nenhum destes homens, nenhum desses dois ou três que me arrisco a classificar como homens de estado, bebe coca-cola ou pepsi cola… Parece existir uma estranha força que aproxima cada vez mais os políticos das bolhinhas das ditas bebidas – efémeras, irritantes e com elevada tendência para uma erupção estomacal!)

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:58
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos