Segunda-feira, 4 de Maio de 2009

Largo da Memória

«Não sei qual é o "trauma" que Vasco Pulido Valente tem sobre as chamadas Primeira (1910 a 1926) e Segunda República (1974 à actualidade), nem me interessa.

O que me choca é que ele se arme em historiador, quando a única coisa que faz é manipular e deturpar acontecimentos históricos, consoante os seus interesses e o habitual hábito de escrever "contra a corrente".
Menos inocentes e traumáticos são os escritos de Pacheco Pereira, que ninguém diria que em Abril de 1974 fazia parte da extrema esquerda. Também é um bom contador de "estórias", mas tal como o "companheiro vasco", em vez de assinar os seus escritos como ficcionista (vá-se lá saber-se porquê...), também prefere ser considerado historiador...»
Para conferir no Largo da Memória.
     
(Por alguma razão alguém sugeria ontem, que a única maneira de entender o que Manuela Ferreira Leite diz é ligar de imediato ao Abrupto do JPP: está lá, em tempo real, o que ela realmente disse, o que ela quis dizer e ainda o que vai acontecer a seguir, para além obviamente dos habituais sermões aos jornalistas...
Não seria muito mais fácil colocar uma janelinha no canto do ecrã da televisão, com o JPP a "traduzir" o discurso da Manuela?...Agradeciamos todos este serviço público de televisão...)
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:41
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos