Terça-feira, 2 de Dezembro de 2008

BPP

(O problema nem está no que dizem ou disseram, já que muitas vezes não passa de um conjunto de banalidades bem estruturadas e com sentido facilmente perceptível. A questão não está na forma, está na ausência de conteúdo, porque todo aquele arrazoado - ver transcrição abaixo... - se pode resumir a uma frase muito simples, sem estrangeirismos: o BPP é um banco que gere poupanças aplicando-as em mercados financeiros, através de gestores que é suposto conhecerem os mecanismos desses mercados. Nada de errado nisto, se se admitir que esta gestão de poupanças, nem me interessa se grandes ou pequenas, tem um risco. O que não é admissível é que esse risco tenha agora que ser assumido por terceiros – o terceiro, como o vizinho, qualquer vizinho, é sempre o mesmo. Chama-se povo e, como se sabe, tem as costas largas!

 

Mas nem tudo é deprimente! A plantinha lindíssima que o BPP adoptou é uma taraxacum officinale, mais conhecida por dente-de-leão, e tem a característica de se disseminar muito facilmente pelo vento. Os miúdos conhecem-na por o-teu-pai-é-careca?, nome de um jogo que supostamente mostraria se o pai é ou não careca depois de soprar as sementes, que voando deixariam a base semelhante a uma cabeça careca. Ironias da botânica, ...)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

«Quem somos

O Banco Privado Português é uma referência no panorama nacional de Banca Especializada:
Um Banco de Investimento que promove a gestão patrimonial como um todo, através do conceito Global Wealth Management (activos financeiros, imobiliário, aconselhamento fiscal, arte) não esquecendo áreas tão importantes e decisivas como o Corporate Advisory e o Private Equity.
Sendo um dos Bancos mais capitalizados em todo o mundo no seu segmento, possui um capital social de € 125 milhões e capitais próprios de € 150 milhões, integrado numa sociedade matriz – Privado Holding – que detém cerca de € 200 milhões em capitais próprios.
Os Valores Fundamentais do Banco Privado Português
Especialização
A Alta Direcção do Banco Privado Português tem no seu conjunto uma preocupação fundamental: a preservação e valorização dos patrimónios que lhe são confiados através da gestão de activos financeiros; já o Top Management dos Bancos Universais têm múltiplas preocupações, desde a optimização da rede à optimização do crédito, do Leasing ou do Factoring.
Independência
Valor de referência do Banco Privado Português e em grande parte responsável pelos níveis de desempenho alcançados, o não comprometimento do Banco com nenhum Grupo Financeiro permite-lhe levar a cabo uma política de alocação estritamente orientada pelo potencial de valorização, quer em termos de mercados, quer em termos de gestão, ou seja, permite-lhe acolher para cada classe de activos os melhores gestores do mundo.
A Missão do Banco Privado Português
Desde a primeira hora que os responsáveis do Banco Privado Português compreenderam e definiram a sua Missão, que vem expressa com extraordinária clareza no Relatório e Contas de 1996:
“A sua missão primordial consiste na preservação e valorização do património dos clientes, através da implementação de estratégias de alocação de activos adaptadas às expectativas de rendibilidade e ao perfil de investimento evidenciados.”»
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:45
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos