Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

Rastos

… também há livros falhados – aqueles que por qualquer motivo escolhi na livraria e que chegada a hora da leitura depressa repousaram na estante. Porque este blog me serve sobretudo como o registo de pegadas a que de vez em quando volto (num regresso em que muitas vezes me surpreendo com esses rastos iníquos, não os reconhecendo completamente…), , menciono os últimos a que decretei uma quietude hibernante:
 
O Crocodilo que Voa. Entrevistas a Luiz Pacheco. Tinta da China.
Provas e Três Parábolas de George Steiner. Gradiva.
A última Estação de Jay Parini. Editorial Presença.
Requiem de Antonio Tabucchi. Dom Quixote.
 
(Não há qualquer juízo de valor neste afastamento de leituras iniciadas e interrompidas numa qualquer página mais agreste, mas apenas a confirmação de que algumas escolhas dependem apenas de um impulso momentâneo… Afinal para que serviria uma livraria ou uma biblioteca se tivéssemos todos as mesmas referências?)
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:49
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos