Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007

Biocombustíveis-2

(A edição de Novembro da National Geographic tem um artigo com interesse para uma compreensão genérica da problemática dos biocombustíveis. Aqui ficam algumas transcrições do texto, uma tabela com uma tentativa de sistematização da informação fornecida e um convite para a leitura integral na NG).
 
“Há um século, o primeiro automóvel de Henry Ford funcionava a álcool, enquanto Rudolf Diesel alimentava o motor baptizado com o seu nome a óleo de amendoim. Em brve, porém, os dois inventores descobriram que o óleo de rocha, quando ligeiramente refinado, proporcionava muito mais energia por litro do que o óleo vegetal ou o álcool e além disso era mais barato.
(…)
É fácil perder a fé nos biocombustíveis se a única solução ponderada for o etanol de milho. (…) Contrariamente ao milho, no qual o amido contido nos grãos precisa de ser decomposto em açúcar por meio de enzimas antes de fermentar, o caule de cana-do-açúcar já é, em si mesmo, 20 % de açúcar (…). A cana rende 5700 a 7600 litros de etanol por hectare – mais do dobro do milho.
(…)
O princípio subjacente ao etanol celulósico é simples, mas torná-lo barato como a gasolina não. Até ao momento, apenas um punhado de fábricas-piloto nos EUA, Canadá ,Suécia, Dinamarca e Espanha produzem etanol a partir de celulose. Uma das fábricas (…) tem capacidade para converter uma tonelada de biomassa em 265 litros de etanol, em cerca de uma semana.
(…)
Não existe nenhuma cultura mágica utilizável como combustível capaz de resolver os problemas energéticos sem prejudicar o ambiente, dizem praticamente todos os cientistas que estudam o assunto. Mas a maioria diz que as algas são as que mais se aproximam desse objectivo, uma vez que podem crescer em águas residuais, até mesmo na água do mar, e precisam de pouco mais do que luz solar e dióxido de carbono para se desenvolverem. (…) Algumas algas fabricam amido, que pode ser transformado em etanol; outras produzem minúsculas goats de óleo que podem gerar biodiesel ou mesmo combustível para aviões. E, em condições correctas, as algas conseguem duplicar de massa no prazo de poucas horas. Enquanto um ha de milho produz cerca de 2500 litros de etanol por ano e um ha de soja cerca de 560 litros de biodiesel, cada ha de algas pode, em teoria, render mais de 45000 litros de biocombustível por ano. O milho e a soja dão uma colheita por ano. As algas colhem-se todos os dias.”
Combustível
Situação actual
Custo de produção
Balanço energético*
Emissão de gases de estufa**
Etanol de milho
Quase todo o etanol dos EUA é destilado a partir de milho. A maior parte é vendida como aditivo para gasolina ou como E85 (85% de etanol, 15% de gasolina).
0,21 €/litro
(EUA)
1/1,3
- 21 % que gasolina
Etanol de cana-de-açúcar
No Brasil, a cana sacarina rende 5700 a 7600 litros por ha. O caule contém 205 de açúcar (fermentado para fabricar álcool) e os resíduos de cana podem ser queimados para fornecer energia à destilaria, baixando o consumo de combustíveis fósseis.
0,17 €/litro
(Brasil)
1/8
- 56 % que gasolina
Etanol celulósico
Pode ser obtido a partir de resíduos agrícolas (restos de culturas), resíduos florestais (pedaços de madeira, troncos, serradura), resíduos urbanso (lixo doméstico e produtos de papel), pata de papel e vegetação de crescimento rápido
-
1/2 a 36
- 91% que gasolina
Biodiesel de oleaginosas
A Alemanha é o principal produtor mundial, utilizando óleo de colza. Podem ser utilizadas outras oleaginosas como a soja, o girassol ou a palma
-
1/2,5
- 68 % que gasóleo
* Energia em combustível fóssil usada para produzir o combustível/energia do combustível
** Produção e uso
Notas: O conteúdo energético do etanol relativamente à gasolina é de 67 % e o do biodiesel relativamente ao gasóleo é de 86 %.
Publicado por Fernando Delgado às 00:35
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos