Sábado, 6 de Outubro de 2007

Interruptores

Alguém criou uma esquina mágica – um sítio onde é possível ir, permanecer algum tempo e ouvir de um lado e transmitir para o outro. Assim, sem mais! É simples: sentamo-nos na esquina, muito atentos ao lado em que gente inteligente fala de coisas importantes e,  em simultâneo, falamos para o outro lado, transmitindo essas coisas a anónimos incrédulos… (Não, não é psicologia de massas de qualquer ditadorzito de bairro, é eficácia de gestão para elites, para aquele número restrito de privilegiados que se juntam mais próximo da esquina…).
Visto de longe, são duas ruas, aparentemente iguais, mas em que uma tem luz e outra vai recebendo essa luz através daquele interruptor falante agarrado à esquina, qual idiota que não percebe que o interruptor só atrapalha aquilo que é naturalmente fácil…
O mais dramático é quando se conhece um destes interruptores…, meu deus, quanta vaidade, quanta arrogância, quanta inutilidade debitada a cada clique!...
 
(Amanhã vou à caça!)
Publicado por Fernando Delgado às 23:53
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos