Segunda-feira, 2 de Julho de 2007

O namorado da Anita

Lido em de rerum natura, e copiado com a devida vénia:
 
"Durante milhares de milhões de anos, o Universo existiu sem sexo. As células vivas dividiam-se simplesmente ao meio sem se cruzarem. Até que, a certa altura, como mostra a “História do Universo em Banda Desenhada I” (Gradiva, 2007), as cadeias de ácido nucleico de uma célula se começaram a juntar às de outra. Diz uma das células na página 17, coladinha à outra: “Só estou a fazer isto, Anita, porque quero que os teus descendentes sejam uma melhoria em relação a ti!” Responde a outra: “Egoísta!” E comenta o autor duas páginas mais adiante: “O sexo era bom para as diferenças individuais e as diferenças individuais eram boas para a sobrevivência. Os seres sexuais sobreviveram e os que se saíram melhor foram os que gostavam mais de sexo – razão por que o sexo sabia bem então, sabe bem agora e só pode saber melhor ainda amanhã!”
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:20
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

mapas rurais

Ajustando as velas

Contrastes

Religiões

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos