Domingo, 2 de Abril de 2006

Pi

3.14159265358979323846264338327950288419
7169399375105820974944592307816406286208
9862804825342117067982148086513282306647
0938446095505822317253594081284811174502
8410270193852110555964462294895493038196
4428810975665933461284756482337867831652
7120190914564856692346034861045432664821
3393607260249141273724587006603155881748
1520920962829254091715364367892590360011
330530548820466521384146951941511609...

 

(A aparente simplicidade da divisão do perímetro duma circunferência pelo seu diâmetro dá este número inacreditável!... Julgo que é a melhor maneira de compreender o infinito - qualquer coisa que se prolonga sem repetições até onde a imaginação, já de si infinita, nos pode levar. É como se de repente descobrissemos que a circunferência tem qualquer coisa de irremediavelmente obsceno a que só as coisas redondas se ousam expor... A matemática é um território de utopia e o pi bem pode ser o seu simbolo?... Que me perdoem os entendidos nestas coisas a ousadia de falar de uma arte da qual apenas conheço um esboço..., mas de vez em quando faz-me bem alimentar o meu ego - o meu pi!)
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 00:05
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos