Quarta-feira, 6 de Abril de 2005

Eugénio de Andrade

"Não sou homem de partido, recuso-me a pensar por caderno de encargos, como diria o Pessoa. A esquerda a que pertenço recusará sempre a iniquidade e todas as formas de repressão; terá em conta novas relações não só do homem com o homem mas também do homem com as coisas; redistribuirá com mão justa não só os bens da terra, mas também as verdades e os poderes. A esquerda a que pertenço saberá que uma dessas verdades é o corpo, que um desses poderes é o desejo. E nunca esquecerá que o homem tem também direito ao prazer."
 
Eugénio de Andrade, in Rosto Precário
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 01:18
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

mapas rurais

Ajustando as velas

Contrastes

Religiões

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos