Quarta-feira, 6 de Abril de 2005

Eugénio de Andrade

"Não sou homem de partido, recuso-me a pensar por caderno de encargos, como diria o Pessoa. A esquerda a que pertenço recusará sempre a iniquidade e todas as formas de repressão; terá em conta novas relações não só do homem com o homem mas também do homem com as coisas; redistribuirá com mão justa não só os bens da terra, mas também as verdades e os poderes. A esquerda a que pertenço saberá que uma dessas verdades é o corpo, que um desses poderes é o desejo. E nunca esquecerá que o homem tem também direito ao prazer."
 
Eugénio de Andrade, in Rosto Precário
Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 01:18
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos