Sexta-feira, 10 de Janeiro de 2014

MIRÓ, segundo a Ministra das Finanças

O ar de desprezo com que a Srª Ministra da Finanças anunciou a venda de dezenas de obras de Miró é chocante. Anunciou-o como quem anuncia a venda do carro usado a pingar óleo, dos tachos lá de casa ou dos pechisbeques que já não conseguem adornar o seu alvo pescoço.

 

Não me interessa se estas obras tiveram origem no BPN, nem que as mesmas tenham sido adquiridas sabe-se lá como. Sei que ninguém as reclamou e que podem ser vendidas - pelo que deduzo que não foram roubadas -, que estão na CGD, legitimamente, e que gostaria muito de as ver em qualquer galeria, em qualquer lugar público. Sei que é por causa de decisões como esta que hei-de sempre detestar quem olha para a cultura com um cifrão em cada olho.

 

Incomoda-me o simples facto de haver gente desta no poder. Incomoda-me pensar que estamos dependentes da mediocridade e da ignorância. Incomoda-me este tempo sem tempo protagonizado por gente sem vergonha!

 

(Há uma petição aqui, para quem queira assinar)

 

(Suponho que no leilão da Christie's estarão testas de ferro de banqueiros de todo o mundo para adquirir as obras. Não era uma boa altura, Srª Ministra, de leiloar a longa lista de gestores do BPN? Com a experiência que têm...)

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 21:21
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos