Sexta-feira, 16 de Setembro de 2011

Movimento translação

Em vários sítios da net é possível encontrar uma estória* que me parece verosímel, mas cujo sentido não percebo muito bem. É que, neste tipo de coisas, não acredito que ninguém perca, como aparentemente acontece. Ou pretende-se apenas demonstrar que na economia, nesta economia de casino, o importante é a circulação do capital, onde aparentemente todos, ou quase todos, ganham? Não foi este movimento de translação, à volta de um sol imaginário, que nos levou até aqui?

 

*A estória é mais ou menos assim:

Um cliente entra no hotel, pergunta o preço duma estadia, deposita uma nota de 100 € no balcão e pede para ver o quarto. O recepcionista entrega-lhe a chave e corre com a nota de 100 € na mão para pagar a sua conta na mercearia mesmo em frente. O merceeiro pega na nota de 100 € e entrega-a ao fornecedor de frutas que lhe acabava de entregar a encomenda. O fornecedor de frutas entra no bar ao lado e entrega a nota de 100 € a uma prostituta que por sua vez se dirige ao hotel e deixa a mesma nota de 100 € sobre o balcão da recepção para pagar a dívida da última estadia… Entretanto o cliente do hotel desce e, na recepção, recolhe a nota de 100 € dizendo que não gostou do quarto.

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:59
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

mapas rurais

Ajustando as velas

Contrastes

Religiões

Negro profundo

«Ninguém desce vivo de um...

Recomeços

«Custo social dos incêndi...

Sinais

Recoleção

Domesticação...

"geografia das ausências"

Galerias ripícolas

do res nulius ao black ac...

A case of you

Assimetrias

J. Fanha

Eduardo Mendoza

«o pregador de verdades d...

Belos dias

A Gente Vai Continuar

Talamou

Dylon

«A realidade é uma opiniã...

«Human»

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos