Terça-feira, 8 de Fevereiro de 2011

Erri De Luca

«[…]

      No Verão acordo cedo, vou aos rochedos de Santa Lúcia com a rede apanhar ouriços-do-mar e, se houver, um ou outro polvo. Estou lá um par de horas antes de o sol ultrapassar a encosta do vulcão. Saem dos clubes os senhores que regressam vindos de alguma festa nocturna. Com os seus fatos de noite expostos à primeira luz do dia, apressam-se a ir para o escuro como os morcegos atrasados. Vejo também sair o conde que mora no prédio e joga a propriedade nas mesas do clube. Não me vê. Os senhores têm uma vista diferente da nossa, que somos obrigados a ver tudo. Eles só vêem o que querem ver. Arregaço as calças até aos joelhos e desço os escolhos. Um golpe de sorte faz-me encontrar algo para põr na mesa. Antes de regressar a casa passo por Dom Raimondo para lhe devolver o livro. Faz-me encontrar um novo, escolhido por ele. Dom Raimondo é um livreiro aventuroso, recupera bibliotecas até da lixeira. Amiúde, é chamado a casas em luto que libertam o espaço do defunto.

      - Mais que a roupa e os sapatos, os livros é que trazem a marca da pessoa. Os herdeiros libertam-se deles por exorcismo, para se libertarem do fantasma. A desculpa é que precisam de espaço, sufoca-se de livros. Mas o que é que põem no seu lugar, encostado às paredes com a marca da forma deles?

      Dom Raimondo diz-me a mim o que não pode dizer a eles.

      - O vazio na parede deixado por uma biblioteca vendida é o vazio mais profundo que conheço. Trago comigo os livros mandados para o exílio, dou-lhes uma segunda vida. Tal como a segunda demão numa pintura, que serve para o retoque final, a segunda vida de um livro é a melhor.

      Recuperou a biblioteca de uma apaixonado pela literatura americana. Estou a ler belas aventuras sobre aquela terra para onde muitos napolitanos foram viver. Mas vê-se que não escrevem livros.

[…]»

Erri De Luca in O Dia Antes da Felicidade. Bertrand Editora.

Tags:
Publicado por Fernando Delgado às 23:18
| Comentar post
Patilhar
Fernando Delgado

Pesquisar

 

Posts recentes

«Human»

Outono

MEC sobre Trump

À espera de Godot

De Niro, sem maquilhagem

Guterres

Arturo Pérez-Reverte

Achamentos na Costa Vicen...

(Gente) sinistro(a)

«Someday this war's gonna...

BREXIT (adenda)

Brexit

Carla Bley

A Seiva da Raíz

Regresso à «Tabacaria»

Abril

... às portas do casino

a força da canção ao vivo...

O casino!...

Retrospectivas

Avec les temps...

Escravatura...

Umberto Eco

As ondas do Albert

Volta-de-lua

Tags

aprender

canções

estórias

interiores

leituras

notícias do casino

outros olhares

peanuts

pintura

rural

todas as tags

Arquivos